Category: Sem categoria

Curva ABC no e-commerce: saiba como movimentar seu estoque

Atalho é uma palavra que não existe no vocabulário empreendedor. Porque, para chegar ao sucesso virtual, é necessário passar por processos e etapas que não devem ser puladas. No entanto, existem estratégias que são facilitadoras da movimentação e ampliação do faturamento da loja virtual. É o caso da Curva ABC.

Controlar o estoque é uma das maiores dificuldades de quem lida com e-commerce. E a Curva ABC é uma estratégia que pode ser muito eficiente na análise de resultados da sua loja virtual. Esse método classifica o estoque em itens mais vendidos e menos vendidos.

Dessa forma, é possível monitorar e criar estratégias para um melhor giro de seus produtos. Essa técnica reduz os custos e amplia as vendas da loja. Para que seja possível tomar decisões corretas e fazer as apostas assertivas, a Curva ABC recebe este nome devido à classificação destinada aos produtos:

Classe A:

Produtos com alto valor de demanda ou consumo = 20%

Classe B:

Produtos com valor de demanda ou consumo intermediário = 30%

Classe C:

Produtos com valor de demanda ou consumo baixo = 50%

Aplicar a Curva ABC no seu e-commerce

Com esses dados em mãos, é possível avaliar as oportunidades de crescimento do seu e-commerce. A Curva ABC, se bem aplicada, pode ser muito eficaz. Para gerenciar seu estoque da melhor maneira, é imprescindível entender que os produtos Classe A representam a maior parte dos ganhos da empresa, por isso, necessitam de mais cuidado e atenção.

A categoria Classe B é responsável por boa lucratividade e necessita de uma gestão moderada. Os produtos da Classe C são os “esquecidos” que não representam tanto lucro para a empresa, portanto, eles devem ser trabalhados, mas não têm de servir como foco principal.

Com isso em mente, é viável classificar a composição do seu estoque e identificar os pontos fortes e fracos do seu e-commerce. E, assim, compor uma tática para identificar qual produto necessita de mais investimento, visto que tem maior retorno para a empresa.

Os produtos Classe C não devem ser desconsiderados. Eles fazem parte do composto que rege a organização da loja e compõem o giro de estoque. Para movimentar essa categoria, é interessante montar kits promocionais com um dos produtos mais “queridinhos”, como da Classe A, e algum artigo da Classe C, para movimentar os produtos parados. Além disso, a curva ABC também ajuda a analisar se algum produto não está dando o retorno necessário, para, assim, retirá-lo de linha, pois esses podem até estar trazendo prejuízo a longo prazo.

Curva ABC na prática

Para implementar essa estratégia no seu e-commerce, é necessário identificar os itens, os preços unitários, a quantidade em estoque, o volume de vendas no período e o valor total vendido. Para isso, pode ser usada uma planilha, ordene pelo valor total e calcule a porcentagem de cada item, assim, será possível definir as categorias de seus produtos.

Organizar o estoque de acordo com a demanda é um dos principais benefícios dessa estratégia, que oferece uma visão mais ampla da demanda do estoque da loja virtual. A Curva ABC identifica diferentes problemas em diversas partes da empresa, através de um cálculo amplo. Além de classificar os produtos, ela caracteriza os principais fornecedores e clientes, ajudando a estabelecer uma preferência e conexão maior com eles. Ou seja, além de ranquear os produtos, a estratégia faz bem para todos os processos da empresa, desde a logística até a entrega final do produto.

Fonte: https://www.ecommercebrasil.com.br/artigos/curva-abc-ecommerce-movimentar-estoque/

DE: Galleger Ilhe

Read More
beexlog 7 de janeiro de 2020 0 Comments

Como tornar meu e-commerce mais competitivo?

Quando você leu a palavra “competitivo” do título deste artigo, pensou imediatamente em preço. Estou certo? Tenho certeza que sim. Sabe porque isso acontece?

O processo de comoditização das vendas online vem a cavalo, então, quando algo novo surge, rapidamente surgem as cópias. Assim, a forma mais comum de aumentar as vendas é baixar as margens e competir no preço.

Essa forma de pensar, embora comum, pode ser o início do fim do seu e-commerce. Isso mesmo! Se você só vende quando sacrifica suas margens, em algum momento essa conta vai chegar e, você irá perceber da maneira mais dura, que não há sustentabilidade em gerir seu site assim.

Então, o que faço para me diferenciar?

A diferenciação dificilmente estará no seu produto/serviço, uma vez que outros concorrentes possuem o mesmo ou similares. O processo de diferenciação está no “como”, e esse “como” permeia desde a eficiência na gestão até o entendimento de que a competição não é entre o “e-commerce A” e o “e-commerce B”, mas sim entre a cadeia de valor desses e-commerces.

Cadeias de valor são ecossistemas que compreendem desde os funcionários próprios do seu e-commerce, até os fornecedores de produtos, sistemas, transportes, insumos e etc. Isso quer dizer que, sua competitividade não está somente no preço e qualidade do produto/serviço, mas sim na qualidade e eficiência de todos os envolvidos no funcionamento do seu site.

Os principais fornecedores, que você deve sempre tratar como parceiros, são de:

1) Plataforma

É como se fosse o ponto da sua loja no varejo físico. Sse não for funcional, não estiver “limpa”, com informações claras e que ajudem o usuário a encontrar o produto/serviço que precisa, você não terá fluxo na loja e, consequentemente, não venderá nada.

A escolha da sua plataforma deve ser feita com todo cuidado e muito critério. Existem ótimos fornecedores, e você precisa encontrar aquele que atenda ao seu perfil e necessidades.

Atente-se ao nível de serviço contratual, ou seja, a responsabilidade do fornecedor em manter seu site em funcionamento 24h por dia, pois se o site ficar fora do ar você terá um enorme prejuízo, e também ao suporte que você terá quando encontrar algum problema de funcionalidade.

2) Agência de performance

Depois de se estabelecer num bom ponto comercial (plataforma), você precisa levar as pessoas para sua loja, mas como vão te encontrar se você não divulgar?

A agência terá papel fundamental na divulgação dos seus produtos e serviços ao público correto, bem como nos canais ideais. Para isso, você deve ser transparente na comunicação dos objetivos e deixar com que a agência estabeleça a estratégia, afinal, eles são os especialistas no assunto.

Não estabeleça limite de investimentos, mas sim uma meta de ROI (Return on investiment). A cada R$ 1 investido, você espera ter quanto de receita? Com essa definição, você só terá o investimento proporcional à receita planejada e a agência terá liberdade nas ações.

Outro ponto importante, é o modelo de remuneração da agência que, normalmente, cobram um percentual sobre o valor investido nas mídias, ou seja, ganham um percentual do que gastam do seu dinheiro.

Faz sentido pagar mais para quem gasta mais o seu dinheiro? Faz muito mais sentido pagar mais para quem te entregar um ROI maior, relação ganha-ganha, não é mesmo? Então, procure uma agência que trabalhe com esse modelo de remuneração chamado de “success fee”.

3) Agência de SEO (search engine optimization)

Pode até ser a mesma que trabalhará performance, mas SEO é algo tão específico que os próprios especialistas precisam se manter super atualizados às mudanças no motor de busca como o Google, pois uma estratégia adotada hoje pode não ser eficaz no futuro.

Procure uma agência que não adote ações com objetivo único de ranquear bem suas palavras-chave, mas aquelas que pensam primeiramente no usuário, e depois em como o Google interpretará essas suas ações.

Esse trabalho é de médio e longo prazo, e trará sustentabilidade de audiência para o seu site, pois, ao contrário das mídias pagas, que, se você deixar de pagar, não terá mais tráfego. A indexação das páginas, organicamente, é um ativo da sua empresa e tem muito valor de mercado.

Por isso, esse “parceiro” deve ter uma relação contínua e de longo prazo, e ser escolhido com máximo critério.

4) Agência de CRO (conversion rate optimization)

Já ouvi muitos dizerem que ter uma agência focada em CRO é um luxo. Penso completamente o contrário. Investir em descobrir formas de otimizar seu e-commerce para os visitantes atuais é a forma mais inteligente de aumentar o seu ROI. Isso mesmo! Com o mesmo tráfego você irá vender mais e terá também a oportunidade de ter um ticket médio maior. Não tem como falar de diferenciação sem falar de CRO.

Um dia sem teste A/B é um dia perdido. Os interesses e hábitos dos seus visitantes devem estar em primeiro lugar, e para saber quais são e como supri-los, não existe outra saída, a não ser elaborar hipóteses e testar.

5) Meios de pagamentos e anti-fraude

Na dúvida de qual meio de pagamento é o mais adequado ao seu público-alvo, disponibilize todos. Desde o boleto à vista, cartão de crédito, dois cartões, até as carteiras digitais como Paypal e Pagseguro, por exemplo.

Como o meio de pagamento mais utilizado é o cartão de crédito, procure “parceiros” que te ajudem a aumentar a conversão de pagamentos e também a reduzir as fraudes, que são chamadas de chargeback.

O grande problema do e-commerce nacional são as fraudes, pois aumentam a insegurança dos cedentes de crédito e reduzem a aprovação dos pagamentos. E, mesmo quando são aprovados, a responsabilidade pela fraude é totalmente do lojista.

Sim, quando acontece o chargeback, a adquirente estorna os valores ao cliente fraudado, e se você já entregou o produto, ficará sem o dinheiro e sem o produto.

Contrate uma empresa de anti-fraude que tenha responsabilidade sobre as aprovações, pois assim você terá mais tranquilidade em acelerar as vendas.

6) Gateway de frete e transportadores

Os gateways de frete são grandes facilitadores na gestão e estratégia por regiões, canais de vendas e tipos de produto. Você pode criar diversas regras que garantam sua competitividade no frete e controle das despesas, que é uma das maiores que você tem.

Um ponto importante é a velocidade no retorno das informações do valor do frete e prazo de entrega. Quando o visitante faz a consulta através do CEP, quanto mais rápido o resultado da sua busca for mostrado na tela, menor será a desistência nessa etapa.

Os transportadores são responsáveis pela parte mais crítica do processo, pois o fator entrega é o que mais deixa os clientes satisfeitos ou insatisfeitos.

Tenha mais de uma opção por região e trate cada um deles como se fossem funcionários da sua empresa. Não adianta ter um site muito eficiente e os clientes estarem insatisfeitos no pós-venda.

O resultado disso será uma avalanche de reclamações e sua reputação será colocada em jogo. Responda e resolva todas as reclamações, inclusive as efetuadas no site Reclame Aqui.

Conclusão

A competição será sempre entre sua cadeia de valor e a do seu concorrente. Quem tiver os melhores processos, os melhores funcionários e os melhores fornecedores, estará a um passo frente e, consequentemente, terá maior faturamento e maior rentabilidade.

Escolha bem os seus parceiros, e não se esqueça que a palavra “parceria” estabelece uma via de mão dupla, uma relação ganha-ganha. Se você quer ganhar mais dinheiro, faça seu parceiro ganhar mais dinheiro.

E entenda que o preço continua sendo fator de decisão na compra. Com certeza, você já escolheu pagar um pouco mais caro por um produto numa loja que te passa mais confiança e, é mais eficiente que outra, não é mesmo?

 

Fonte: https://www.ecommercebrasil.com.br/artigos/tornar-e-commerce-competitivo/

Por: Edmilson Maleski

Read More
beexlog 28 de novembro de 2019 0 Comments

Copywriting: as técnicas que ajudam suas vendas

Oque é Copywriting? De maneira ampla, Copywriting consiste na técnica de produzir textos estratégicos com a finalidade de realizar vendas e promover produtos ou serviços.

Para você ter uma ideia da importância desse processo dentro das estratégias de vendas, há profissionais dedicados inteiramente a essa função: os copywriters.

Antes de redigir o texto de uma página de vendas, o copywriter deve listar quais necessidades são relevantes para o possível comprador, fazendo uma extensa pesquisa de como apresentar os benefícios do produto de forma persuasiva para a persona de seu negócio.

O copywriter deve escrever o “copy” (texto) pensando em seu caráter persuasivo, utilizando gatilhos para despertar interesse no leitor, com objetivo de gerar conversões e vendas para o seu negócio.

Saiba identificar

Você sabia que nem sempre quem tem um problema ou necessidade sabe identificar isso? Com certeza sua empresa trabalha com um produto ou serviço que é a solução para diversas pessoas, mas elas ainda não estão cientes disso, portanto, cabe a você mostrar para elas.

Vamos pensar em nós mesmos como consumidores. Certamente, você pesquisa bastante na internet antes de uma compra, não é mesmo?

Tenha certeza de que não é o único: é o que cerca de 92% das pessoas fazem, segundo pesquisa da consultoria TNS Research International.

Os meios pelos quais essas informações são obtidas são os mais diversos:

  • redes sociais,
  • blogs,
  • sites,
  • fóruns,
  • newsletter,
  • e-mail marketing.

Uma infinidade de conteúdo está disponível na web, inclusive o material que você preparou para ajudar o prospecto na sua decisão. E é só depois disso, que ele te escolhe, ou não, como fornecedor.

Dicas de copywriting

Veja algumas dicas para escrever uma copy que vende:

1) Conheça seu público

A copy eficaz do produto começa com o conhecimento do seu público. Você não pode vender nada se não souber com quem está falando.

Antes de começar a trabalhar em qualquer uma das descrições de seus produtos, você deve fazer muitas pesquisas anteriores. Forme personas de usuário, defina quem são, quanto ganham e quais são seus principais valores.

2) Encontre o problema que você vai resolver

Se você vende algo, independentemente do que seja (produtos ou serviços), então você tem que ter a solução para um problema.

3) É a história que vende

Você cobre todas as especificações do produto para os clientes que se preocupam com pesquisas precisas e adiciona fotos para quem compra com os olhos. Mas por que você precisa escrever uma descrição do produto?

Porque para muitos, é a história que vende. Seu trabalho na criação de uma ótima copy de produtos é essencialmente escrever uma pequena história que levaria o cliente a fazer uma compra.

Trate isso como uma daquelas histórias de seis palavras que conseguem criar uma narrativa convincente em um número limitado de símbolos. Você precisa criar uma história que conte algo sobre sua marca e apele para o que os clientes desejam ver em seu produto.

Mas você não precisa escrever ficção. Você precisa basear sua história em fatos.

4) Basear a história em fatos

Escreva sua copy de maneira breve e precisa. Você não deve superestimar ou hiperbolizar as qualidades do produto, apenas apresentá-las sob uma luz favorável. Baseie a descrição do seu produto em fatos e apimente emoções, e não o contrário.

5) Corte frases sem graça

Quando você escreve seu primeiro rascunho, pode encontrar frases sem graça como “é um ótimo produto” ou “este produto tem uma qualidade excelente”. Isso é um grande não-não. Isso não diz nada ao cliente. Exclua as frases que não fornecem informações e substitua-as por fatos que ilustram por que são ótimas.

6) Descreva o valor

Aqui é quando sua pesquisa com clientes entra em jogo. Concentre-se nas coisas que o cliente considera valiosas.

Por exemplo, é importante para um trabalhador de escritório que um suéter da nova coleção ainda retenha sua suavidade e beleza após a lavagem.

Para uma pessoa que procura cosméticos orgânicos, são ingredientes seguros que correspondem ao seu tipo de pele.

7) Use psicologia

Apesar do que muitos clientes dizem, a escolha de fazer uma compra geralmente se baseia na emoção, e não na lógica. Muitas empresas criam um vínculo entre seus produtos e valores positivos. Por exemplo, comprar um par de tênis não é apenas comprar sapatos bons, é uma decisão para começar a conseguir grandes coisas.

8) Mantenha os principais elementos verificáveis

Nem todos os clientes têm tempo para ler a descrição completa do produto.

É por isso que você precisa garantir que a copy do produto também seja otimizada. Inclua todos os elementos-chave do produto em uma lista com marcadores e torne essa lista facilmente visível para os clientes.

9) Não se esqueça do SEO

Embora escrever para humanos seja seu principal objetivo aqui, inclua palavras-chave para facilitar a localização do produto nos mecanismos de pesquisa. Essa é uma das técnicas básicas de SEO que você pode usar para otimizar seu site para a pesquisa do Google.

9) A / B, testar tudo

Não existe uma fórmula mágica para criar cópias estelares de produtos. Cada produto e cada nicho requer uma abordagem diferente, uma escolha diferente de palavras e estilos diferentes. E o que pode funcionar em uma campanha pode não funcionar em outra.

Se você deseja obter vendas com sua copy do produto, é necessário criar e testar várias versões para ver o que tem melhor desempenho.

Mas não pare por aí. Teste as fotos e as especificações para ver o que ajuda a reduzir a taxa de rejeição e o abandono do carrinho de compras. Faça também o teste de divisão de diferentes ferramentas de assinatura de e-mail, pois isso ajuda você a levar seus esforços de marketing para o próximo nível.

Elementos e gatilhos importantes no copywriting:

  • Urgência;
  • Conexão;
  • Especificidade;
  • Transformação;
  • Exclusividade;
  • Reciprocidade;
  • Aprovação social;
  • Afeição;
  • Autoridade;
  • Compromisso e coerência;

Copy do produto

A copy do produto é essencial para vender seus produtos online. É ainda mais importante do que criar o nome de domínio certo. Você pode criar uma marca a partir do zero, mas não pode vender com uma copy ruim do produto. Uma boa, no entanto, pode levar a vendas, mesmo quando o nome do site não importa.

A copy eficaz do produto é um dos principais fatores que contribuem para o aumento das vendas. Crie uma copy envolvente que conte aos seus clientes uma história que ressoe com eles.

Divida as informações para que aqueles que desejam ler a descrição ou digitalizá-las possam obter o que precisam de uma só vez. Adicione as melhores práticas de SEO e seu trabalho estará concluído.

Read More
beexlog 26 de novembro de 2019 0 Comments

Entenda a Relação entre Tecnologia e Logística

Galpão Fulfillment Beexlog

Tecnologia e Logística caminham juntas para o futuro, afinal, tecnologia em logística já é uma realidade. Por menor que seja o negócio, todos já se beneficiam de alguma tecnologia, seja um simples smartphone ou planilha no notebook.

Porém, o mercado está evoluindo, e cada vez mais depressa. Se você deseja levar a sua operação logística a novos patamares, deve ficar atento às novas tendências do setor.

Desse modo, os profissionais dessa área devem conhecer as novidades a respeito do assunto, pois é uma forma de ganhar destaque frente à concorrência. E isso certamente vai trazer benefícios no dia a dia empresarial, como segurança na informação, possibilidade de rastreamento, e muitos outros benefícios.

O envolvimento da TI (Tecnologia da Informação) e de seus profissionais com a logística, a elevaram a um outro patamar. E o pensamento estratégico unido à análise de dados e estatísticas proporciona às empresas uma visão muito ampla dos processos, tornando a gestão muito mais eficiente e econômica.

Recursos da Tecnologia em Logística

A tecnologia na logística é vital, são inúmeros fatores que envolvem controles e organização, e são eles:

1ª Vantagem da Tecnologia Logística:

Sistemas ERP

O uso de sistemas de informação pelas empresas é o que viabiliza inúmeros setores que fazem parte das inovações apresentadas neste conteúdo.

Afinal, por meio deles é possível centralizar a gestão da informação de toda a empresa, integrando a logística de variadas filiais em diferentes localidades. E permite, por exemplo, uma tomada de decisão muito mais conjunta, que podemos chamar também de alinhada.

Por outro lado, esses sistemas permitem a análise dos dados de modo a antecipar futuras demandas e/ou possíveis inconsistências nos processos. Isso dá permissão à empresa para que se adapte a um aumento ou diminuição no fluxo de entregas, este é um exemplo, ou corrija falhas antes que elas tenham o poder de ocasionar prejuízos.

2ª Vantagem da Tecnologia Logística:

Automação

Este é um conceito bastante utilizado em inúmeros setores da empresa, a exemplo da logística. A partir dele é possível tornar a rotina de operações muito mais rápida, autônoma e menos vulnerável a falhas,

Além disso, diminui o retrabalho, poupando tempo e dinheiro (assuntos extremamente valiosos quando o assunto é logística).

Para se ter ideia de como a automação está presente no nosso cotidiano e no das empresas, basta imaginarmos a seguinte situação:

  • O consumidor entra no site e busca pelo produto que deseja;
  • Uma vez encontrado, já é informado da sua disponibilidade em estoque;
  • Após isso, ele fecha a compra e realiza o pagamento;
  • Uma vez aprovado, o produto agora será separado para o envio à transportadora.

De modo bem simples, resumimos alguns processos logísticos que ocorrem de forma rápida em uma compra, graças à automação.

3ª Vantagem da Tecnologia Logística:

Ecnologia mobile

Esse conceito é importante por facilitar o monitoramento e gestão de equipes externas, melhorando a comunicação entre a empresa e quem atua na ponta do processo logístico, realizando o transporte, por exemplo.

Atecnologia mobile melhorou exponencialmente a segurança dos transportes e facilitou a vida dos envolvidos nesse processo. Afinal, é possível passar informações sobre o trabalho em tempo real, informando a empresa sobre eventuais dificuldades, atrasos e gastos excepcionais.

Muito além disso, hoje é possível monitorar a rota dos veículos, prevenindo furtos e roubos de cargas durante o transporte de mercadoria.

4ª Vantagem da Tecnologia Logística:

Softwares de gestão de estoque

Alguns dos benefícios de sistemas de gestão de estoque são: agilizar o processamento das informações relativas às vendas e encurtar o tempo de separação de mercadorias, evitando erros e atrasos nas entregas.

5ª Vantagem da Tecnologia Logística:

Softwares de CRM

Otimizar a relação com o cliente também é uma demanda do setor de logística. Isso porque, poder identificar quais as reais necessidades dos consumidores pode ser uma forma altamente eficiente de melhorar a prestação dos serviços e alcançar a satisfação daqueles que os utilizam.

6ª Vantagem da Tecnologia Logística:

Cloud Computing

A disseminação da computação em nuvem fez com que inúmeros conceitos apresentados se tornassem mais acessíveis, sobretudo às pequenas e médias empresas.

Afinal, a partir dela os custos reduziram bastante. Um exemplo são os softwares de gestão de estoque e ERP, que puderam migrar para a nuvem e alcançar mais empresas.

É bem perceptível que, atualmente, a eficiência dos processos logísticos é diretamente proporcional aos investimentos em tecnologia e inovação que a empresa faz.

Esses conceitos que foram listados são alguns exemplos de onde o gestor pode focar suas atenções e investir. Essas estratégias irão te ajudar a reduzir custos e otimizar sua gestão na loja virtua.

Para concluir, a preocupação com a logística da empresa deve fazer parte da rotina de qualquer gestor. Isso, em razão da alta competitividade do mercado e a demanda dos consumidores por mais agilidade nas entregas, negligenciar o papel da tecnologia em logística no sucesso de sua empresa pode ser prejudicial para a imagem e para os resultados financeiros da empresa.

 

 

Fonte: https://www.ecommercebrasil.com.br/artigos/relacao-tecnologia-logistica/
Por: Marcelo Terrazan

Read More
beexlog 21 de novembro de 2019 0 Comments

Como Impulsionar As Vendas Online Na Black Friday

Você está preparado para a Black Friday? A data, que inicia as compras do fim de ano com inúmeras ofertas e descontos, é uma oportunidade incrível para os lojistas alavancarem as vendas.

Para as empresas que possuem lojas virtuais, essas chances são ainda maiores. Isso porque é muito significativo o número de consumidores que ficam conectados em seus dispositivos para acompanhar as promoções deste período.

No ano passado, somando o período da Black Friday, o faturamento no e-commerce ultrapassou R$ 3,55 bilhões. Nele, o ticket médio do brasileiro foi de R$ 279,27.

1) Crie campanha de e-mail marketing para seus clientes

Envie um e-mail para os clientes que já compraram na sua loja ou demonstraram interesse nos produtos. O importante é criar campanhas separadas para estes perfis — os consumidores anteriores e os potenciais —, pois eles têm necessidades e desejos diferentes.

Nele, crie um assunto cativante, afinal, isso define se as pessoas abrirão ou não este e-mail. Programe o envio para os horários de pico no número de usuários conectados. Para não marcar bobeira, reserve essa data no seu calendário. E, por último, mas não menos importante: envie esse e-mail o quanto antes, no momento em que os concorrentes ainda estão distraídos.

 

2) Explore as mídias sociais

Aproveite o embalo das redes sociais. Afinal, essas plataformas concentram um grande volume de consumidores em potencial.

Ao invés de postar as ofertas somente na semana do evento promocional, publique conteúdos nas semanas anteriores para instigar o seu público e mantê-lo interessado e planejado financeiramente para a Black Friday. Outra ideia é criar páginas especiais nas redes sociais apenas para esta data comemorativa, um local exclusivo para as ofertas deste período.

3) Inicie um programa de indicações

Um anúncio na internet chama a atenção, mas não tanto quanto a marcação de um amigo recomendando um produto. Este pensamento que impulsiona um programa de indicações na Black Friday.

Devido ao poder de compartilhamento, as redes sociais são um ótimo ambiente para um programa de indicações. A fim de desenvolver uma oferta irresistível, pesquise o que desencadeia o interesse do seu público e, que tal, trabalhar em forma de recompensa? No final, o consumidor recebe alguma coisa por te indicar.

4) Adicione um cronômetro de contagem regressiva

Você sabia que a taxa de abandono do carrinho de compra no e-commerce é de 82% no Brasil, de acordo com os dados do E-commerce Radar? É fato que os clientes tendem a ser indecisos. Na maioria dos casos, checam a concorrência para comparar os produtos.

Por isso, incluir um cronômetro de contagem regressiva nas ofertas motiva os consumidores a decidirem imediatamente, pois indica a escassez daquele determinado produto. Este é um gatilho de vendas, como a urgência, “essa é a sua última chance”, que você também pode utilizar, principalmente nestas épocas do ano.

5) Upsell e venda cruzada com descontos

Upsell (ou vender mais, em português) se trata de uma estratégia com foco na otimização da experiência do comprador e, de quebra, aumentar as vendas. Essa e a venda cruzada são ótimas maneiras de aproveitar o cliente que já está em seu site.

Para isso, na finalização da compra, monte combinações de três a quatro produtos que se complementem e os oferte com um desconto no valor total. Esse estilo de promoção combinada funciona com maestria nestes eventos.

Pronto! Estes são os cinco segredos para aumentar os lucros na Black Friday. Mas saiba que essas dicas funcionam melhor com o apoio do aplicativo da sua empresa. Isso porque a conversão de vendas num app próprio é superior.

Nele, é possível avisar o público através de ‘notificações push’ e publicar as ofertas durante os dias de venda deste evento comercial. Além de ser uma poderosa fonte de dados, pois guardam as informações de todos os seus clientes, o que lhe garante inteligência de mercado e permite que você tome decisões mais assertivas. Já as lojas virtuais que também possuem um ponto físico, o planejamento precisa considerar os dois pontos de venda.

Comece agora para estourar na Black Friday!

Fonte: E-Commerce Brasil

Por: Rafael Martins de Oliveira

Read More
beexlog 18 de novembro de 2019 0 Comments

A Embalagem Faz Toda Diferença no E-Commerce, Nunca Se Esqueça!!

Embalagem E-commerce Fulfillment

Eu sempre digo que para empreender existe a hora certa, a jogada de mestre, a carta na manga. Hoje, como empreendedora, aprendi inúmeras coisas que nunca ninguém me contou e sabe o que mais eu aprendi? A importância da EMBALAGEM. Sim, embalagem, aquela caixinha que muitas vezes, você, dono de e-commerce, não dá a mínima.

Se você não é empreendedor, tenho certeza que ao menos uma vez já passou pela sua cabeça como seria empreender. Ainda mais agora com a internet e as facilidades do e-commerce e marketplaces.

Pois bem, caso você tenha começado a empreender ou esteja pensando em começar e o foco é uma loja virtual, não pense que será super fácil, barato e tranquilo. Não tem fórmula mágica.

Por mais que você tenha o melhor plano, sempre vai dar alguma coisa errada, isso é normal. Mas o que não pode, é deixar isso te abater ou desistir. Imprevistos acontecem o tempo todo, seja em um emprego fixo ou empreendendo.

E-Commerce e Embalagem

Quando você tem uma loja física, o atendimento simpático e a sacola descolada já bastam para uma experiência satisfatória. Mas e quando você tem um e-commerce? E quando a pessoa compra um produto sem pegar na mão?

Pois é aí que mora o perigo. Por isso, eu falo e repito: embalagem faz toda diferença, nunca se esqueça. A experiência do cliente está relacionada ao atendimento humanizado, ao produto de qualidade, ao preço acessível, ao frete pagável e, principalmente, à embalagem e à entrega.

Quando você compra algo pela internet, não fica aquela expectativa, aquela ansiedade? É isso! A embalagem é a realização de algo que não era palpável e agora é, algo que estava só na sua mente e na tela do computador. Os detalhes fazem a diferença quando seu cliente recebe um mimo de embalagem junto com o produto comprado.

Use a Criatividade

Embalagem é tudo! É a forma como o cliente irá perceber a entrega de valores que a sua empresa se propõe. Então, use a sua criatividade: com cartãozinho no interior da embalagem, com fragrâncias ou simplesmente uma caixa linda com um design inovador e que tenha a cara do seu negócio.

Lembre-se: entrega é uma realização para seu cliente, é tornar o não palpável em palpável.

Crie Sensações

Na loja física, você consegue encantar o cliente pelas sensações e, consequentemente, sentimentos. No e-commerce, é um pouco diferente, por isso, encante o cliente não só com as suas embalagens. No meu e-commerce, por exemplo, a gente envia junto com o produto o cheirinho da marca. É uma forma carinhosa de conectar nossos clientes com a nossa marca, usando o olfato.

Capriche nos Detalhes

Dê a cara da sua empresa para a sua embalagem, dessa forma, você estará fechando um ciclo de compra com sucesso e iniciando um relacionamento duradouro. Quando você usa identidade de cores, isso ajuda muito a criar uma empatia com sua empresa. Coloque seu logotipo na caixa e faça com que a experiência do cliente em abrir seu pedido seja mágica e única.

Provavelmente, você já sabia como era importante investir na embalagem e entrega do produto, pois isso ainda é a experiência do cliente. Agora, anote estas dicas e aplique no seu negócio. Olhe para sua entrega com carinho e fortaleça o relacionamento com o seu cliente.

Fonte: E-Commerce Brasil

Por: Sabrina Nunes

Read More
beexlog 12 de novembro de 2019 0 Comments

O Fulfillment irá Aumentar a Competitividade da sua loja

Ao inaugurar um e-commerce, o lojista se depara com muitos custos operacionais. Além disso, sabe-se que nos tempos atuais é super comum os usuários efetuarem compras pela internet, tanto pela praticidade de compra quanto pelas inúmeras opções de produtos e empresas.

Pode-se dizer que comprar na internet é muito vantajoso quando o assunto é experiência de compra. Isso porque as pessoas prezam por comodidade, rapidez e tranquilidade na hora de avaliar as opções disponíveis para compra.

Existe proximidade entre um negócio físico e um e-commerce. Afinal, é necessário estar presente, separar estoque, ter um bom atendimento, entender e se relacionar com seu público e, fundamentalmente, planejar estratégias para vender e divulgar sua marca.

Entretanto, existe um custo operacional extremamente importante — que muitas vezes é subestimado pelos próprios administradores do negócio. Estamos falando do Fulfillment.

O Fulfillment para e-commerce é um elo importante na cadeia de suprimentos. Sem um processo de atendimento e processamento de pedidos preciso, contínuo e confiável, seus clientes não ficarão satisfeitos. Afinal, ninguém gosta de atrasos, erros e outros contratempos, não é mesmo?

Mas, relaxa. Nós abordaremos com mais calma tudo isso neste conteúdo. Vamos lá!

O que é Fulfillment?

Podemos definir o Fulfillment como um conjunto de operações e atividades que são realizadas desde o recebimento do pedido no e-commerce à entrega do produto. Dentro dele podemos referenciar alguns processos, como o recebimento, armazenamento, picking (def: separação e preparação de pedidos), embalagem do produto, faturamento e expedição.

Entretanto, esses processos quando somados podem representar uma fatia muito importante no total de custos da operação virtual. Exemplo: se o lojista envia produtos a mais no pedido sem conferência, o que pode ocorrer são grandes perdas financeiras.

E é justamente por este motivo que alguns dos grandes players escolhem por terceirizar essas atividades com empresas especializadas efulfillment. Sabe-se que outras organizam, por exemplo, um padrão de serviços usando um SLA de d+0.

Fulfillment para empresas com volumes de pedidos elevados

Esta é uma dúvida comum dentro desse tema. Pensando nisso, separamos algumas dicas para reduzir os custos e otimizar o fulfillment em seu e-commerce.

1 – Segmente os SKU’s

Os SKU’s (referências/código dos produtos) geralmente podem causar uma grande confusão no e-commerce. Um dos modos de reduzir os custos com seu fulfillment é segmentar os SKU’s por marca durante a armazenagem. Dessa forma, além de facilitar a procura do produto durante a montagem do pedido, você também terá um controle maior do seu estoque e diminuirá a probabilidade de ter falta de estoque.

‍2 – Defina os KP’s

A definição dos KPI’s (Key Performance Indicator, ou Indicadores-Chave de Desempenho) é essencial para uma boa gestão. Nesse sentido, estabeleça métricas para mensurar a performance diária, como por exemplo o número de pedidos e a quantidade enviada. Este feito irá permitir o controle integral da produção geral e individual.

Sabe-se que existem também outros tipos de KPI’s que não estão necessariamente relacionados à performance dos profissionais. Exemplos podem ser: quantidade de insucessos (ou seja, retorno de pedidos enviados após esgotamento das tentativas de entrega) e métricas de logística reversa.

3 – Utilize tecnologia

Outro ponto bastante conhecido é que a tecnologia é importante em um e-commerce. Porém, nem sempre ela é usada de uma forma que gere potencialidades. Utilizar ferramentas de apoio à gestão pode ser essencial para garantir uma operação de fulfillment otimizada. Saiba que softwares como ERP’s, WMS, TMS, entre outros, são essenciais para organização da operação quando existe uma quantidade considerável de pedidos.

4 – Terceirize a mão de obra

Caso a logística tenha atendido às suas expectativas, é possível que ele irá comprar novamente e é nesse momento que a terceirização da logística do seu e-commerce pode entrar como uma ótima opção. Os empresários, neste cenário, poderão focar no melhor gerenciamento das empresas. Ou seja, não precisarão ficar centralmente responsáveis pelo armazenamento do produto, embalagem e entrega — funções que ficarão à cargo de empresa qualificada e especializada no ramo. A terceirização de mão de obra é uma realidade. Essa alternativa tem diminuído os custos internos de muitas empresas e pode te ajudar também.

5 – Ofereça uma experiência única

Os novos consumidores prezam por exclusividade. Para finalizar seu processo de fulfillment, não esqueça da entrega do produto ao cliente. A experiência de compra precisa ser impecável em todas as etapas, desde a escolha do produto, check-out e recebimento. Desse modo, você garante a fidelização dos clientes.

Independentemente da operação, seja ela terceirizada ou interna, utilize essas dicas em seu processo de fulfillment. Essas estratégias irão te ajudar a reduzir custos e otimizar sua gestão na loja virtual.

Autor: Marcelo Terrazan

Fonte: E-Commerce Brasil

 

Caso queira sair na frente de seus concorrentes e ter sua logística automatizada, fale agora com a Beex!! Chame-nos pelo Whatsapp agora  🙂 

Read More
beexlog 6 de novembro de 2019 0 Comments

6 dicas para preparar seu e-commerce para a Black Friday – ABCOMM

Já estamos no mês de novembro e isso pode significar um aumento significativo das vendas do seu e-commerce. Isso porque sua campanha de Black Friday deve aumentar a procura de produtos da sua loja virtual.

Em 2018, apenas na quinta e na própria sexta-feira do evento, o e-commerce brasileiro faturou R$2,6 bilhões, 23% a mais que em 2017. Os dados são do eBit/Nielsen, que previam um crescimento menor, de 15%, para o período.

Além de o faturamento crescer, o tíquete médio também aumentou 8% e foi a R$608 no ano passado. Foram 2,41 milhões de pessoas comprando online na Black Friday de 2018!

Para 2019, a expectativa é de que o faturamento do e-commerce aumente 18% e chegue a R$3 bilhões, conforme estudos da Associação Brasileira de Comércio Eletrônico (ABComm) e da consultoria Ebit/Nielsen. E, se você vende pela internet, pode embarcar na campanha da Black Friday para alavancar suas vendas!

Entretanto, é preciso prestar atenção a alguns detalhes para que, de fato, seu e-commerce tenha sucesso na data. Por isso, preparamos algumas dicas para que seu negócio tenha uma ótima Black Friday. Vamos a elas?

Black-friday-2019

 

1. Organize seu estoque

Antes de sair anunciando promoções de Black Friday, organize bem seu estoque. Conte todos os produtos e confira se as quantidades estão corretas na sua loja virtual. Dessa forma, você evita vender produtos que já estão esgotados ou deixar mercadorias encalhadas no seu estoque porque elas não apareceram como disponíveis no seu e-commerce.

Além disso, esse momento de organização do estoque vai te ajudar a identificar, por exemplo, aqueles produtos que tiveram vendas abaixo do que você previu. Assim, você consegue pensar em uma promoção para dar vazão a eles na Black Friday.

 

2.  Escolha bem os produtos que vão entrar na promoção

Depois de mapear os produtos disponíveis no seu estoque, você deve identificar quais podem entrar em eventuais promoções. Esse passo é importante porque nem todos os artigos que você vende te dão uma margem de lucro suficiente para que você ofereça grandes descontos.

Logo, você precisa identificar quais produtos podem entrar em promoção e quais serão as ofertas. Assim, você evita problemas no seu caixa. Afinal, não adianta vender mais e sair no prejuízo.

Se você não conseguir oferecer muitos descontos em uma grande variedade de produtos, pode pensar em outras estratégias, como kits promocionais, brindes e estratégias diferenciadas de frete.

 

3. Seja honesto

Os consumidores estão cada vez mais atentos às promoções na internet. Portanto, não tente enganá-los com descontos depois de aumentar o preço dos produtos, por exemplo. Muito provavelmente eles perceberão e isso pode prejudicar sua marca!

 

4. Esteja preparado para demoras na entrega

Como durante a Black Friday o número de vendas online cresce, a demanda dos serviços de entrega aumenta consideravelmente, podendo causar demora no frete. Quanto ao prazo, não há muito que você possa fazer, mas é possível alinhar a expectativa dos seus clientes.

Deixe claro no seu site, no momento do checkout, que o prazo para as entregas nessa época pode ser maior. Os consumidores não costumam identificar o que é responsabilidade da transportadora e o que é da alçada da loja. Se acharem que a entrega demorou muito, vão associar esse problema ao seu e-commerce. Portanto, deixe-os cientes de que pode haver atrasos.

 

5. Planeje a logística reversa

De acordo com o Código do Consumidor, os clientes têm até 7 dias após o recebimento dos produtos para se arrepender da compra. Como na Black Friday o número de pedidos deve aumentar e você deve vender para novos clientes, a probabilidade de que haja trocas aumenta.

Portanto, você deve estar preparado para receber os produtos de volta e enviar os novos. Esse processo é chamado de logística reversa e tanto os próprios Correios quanto outras transportadoras oferecem serviços específicos para esses casos.

 

6. Foco nos carrinhos abandonados

Com o aumento do tráfego no seu site, é provável que alguns visitantes coloquem produtos no carrinho e desistam da compra. É claro que essa não é a situação ideal, mas não desista dos carrinhos abandonados!

Um estudo do site Moosend aponta que e-mails lembrando o cliente da compra não finalizada costumam ter uma taxa de conversão de cerca de 11%. Portanto, prepare uma mensagem para os usuários que tiverem colocado produtos no carrinho e desistido, pois isso deve trazer alguns resultados! Você pode até oferecer benefícios para que eles concluam a transação.

 

Para que seu e-commerce tenha sucesso na campanha de Black Friday, você precisa prepará-lo. Dessa forma, você consegue atender à demanda dos clientes sedentos por ofertas sem sufoco!

E, então, está preparado para a Black Friday 2019?

Informações da autora

Victoria Salemi é a editora responsável pelas parcerias de conteúdo da Nuvemshop, a maior plataforma de e-commerce da América Latina em lojas ativas. Formada em Jornalismo, ama escrever e tornar assuntos complicados acessíveis a todos!

E-mail Gravatar: victoria.salemi@nuvemshop.com.br

Marcado campanha black friday
Fonte: Abcomm – 01/11/2019

Read More
beexlog 1 de novembro de 2019 0 Comments

Descubra Como Ganhar Mais Dinheiro Com Seu Estoque Atual

     Nós da Beex sabemos que a prioridade de qualquer empreendedor é Vender Mais e Ganhar Mais Dinheiro.💲

Por isso decidimos escrever e disponibilizar um E-book Gratuito para te ajudar a conhecer o seu estoque na ponta da língua – e do lápis- como ninguém.

 

O estoque é a parte mais importante para uma loja, seja ela virtual ou física, pois é ele que define os lucros e perdas. E aqui você encontrará um passo a passo de como ganhar mais dinheiro fazendo apenas uma boa gestão do seu estoque atual.

 

A organização do estoque será crucial para o negócio, e quando digo organização não estou só me referindo a caixas boas e limpas, me refiro também a organização do planejamento com fornecedores, preços, prazos, forma de entrega e etc. “Mas como assim?” você deve estar pensando, “Porque?” te digo:

     O estoque é o pulmão do seu negócio, se ele não funcionar corretamente irá comprometer outras partes do seu e-commerce podendo até comprometer a imagem da sua loja.

Mas calma que vamos te ajudar a fazer o pulmão funcionar corretamente 😉 Vamos lá?

Baixe agora o E-book Gratuito, basta clicar:

bit.ly/descubra-como-ganhar-mais-dinheiro-com-seu-estoque-atual

*Relaxa, também não gostamos de spam.

Espero que goste, até a próxima!

Read More
beexlog 1 de novembro de 2019 0 Comments